sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Review: Milord Taverna


Na última quinta-feira, fui com alguns amigos conhecer a Milord Taverna, recém-inaugurada em Campinas (Rua Sacramento, 367 - Vila Itapura).

Milord Taverna
 * Espera: Victor e Graciele, os primeiros do grupo, chegaram às 19h30 e foram comunicados de que a espera seria de cerca de meia hora. Puderam entrar na ante-sala e comecar a beber. Eu cheguei às 20h20, encontrei-os na ante-sala, e logo fomos chamados para o salão principal. "Milord Victor!", gritou o simpático atendente para nos conduzir.

 * Atendimento: em alguns momentos foi um pouco confuso, talvez por a casa ser nova e ainda estar em adaptacão. Porém, todos foram muito simpáticos o tempo inteiro e nos trataram super bem.

 * Ambiente: tudo milimetricamente pensado para remeter a uma taverna. As paredes, os utensílios, inclusive as moringas em que são servidos os sucos, as roupas dos funcionários, absolutamente TUDO é caracterizado como uma Taverna.
São apenas 108 pessoas sentadas, em mesas devidamente espacadas entre si. Sem muita aglomeracão, o local é bastante agradável.




 * Música: não teve música ao vivo quando fomos, apenas música ambiente. Volume agradável e boa selecão musical, com folk, harmonizando muito bem com o lugar. Para os próximos eventos estão programados Taberna Folk e Rebels and Sinners, que são duas excelentes bandas de música folk.

 * Cervejas: Há três tipos de chopp: Baden Baden Pilsen (R$10), Eisenbahn Dunkel (R$12), e Milord (R$10), um Red Ale feito especialmente para a casa. Além disso, servem engarrafadas: Heineken e Amstel (R$9), três opcões da Baden Baden (Red Ale, Gold, Witbier), por R$20, e três da Eisenbahn (Weizenbier, Pale Ale, Strong Golden Ale)., por R$7,50 cada.

Cardápio de bebidas
 * Cardápio: até o dia 04/02, estavam servindo somente o Banquete do Rei, que custa R$65 e inclui:
 - Passo I - Couvert de pães fritos acompanhados de salsichão alemão e pesto de nozes;
 - Passo II - Salada camponesa - Alface americana, agrião d´água, tomate cereja, rabanete, pepino, beterraba e grão de bico temperados com molho de açafrão, mel e mostarda;
 - Passo III - Dueto de caldos: Cebola eslava e cremoso de queijos;
 - Passo IV- Trilogia da batata: batata rústica ao perfume de alecrim, purê de batata irlandês e mousseline de batata com abóbora cabotian;
 - Passo V - Brinde à caça: Javali ao molho de amoras, joelho de porco, costelinha de porco ao molho de hidromel, galeto e confit de bacalhau;
 - Passo VI - Os doces da idade média: rabanada com calda de frutas silvestres e tartin de maçãs com uva passa
NOTA: Há também a opcão vegetariana, que traz uma porcão maior de batatas e purê em vez de carnes.
A partir de 05/02, haverá o cardápio à la carte.

Banquete do Rei - vegetariano
 * Preco: embora a comida seja cara, é bem servida, valendo o que custa. As bebidas são bem em conta, compensando a comida. Não é cobrada a entrada, apenas couvert em dias de música ao vivo.

 * Estacionamento: a Milord conta com Vallet, por R$15. Porém, não costuma ser difícil estacionar na região, na R. Quatorze de Dezembro ou na própria R. Sacramento.

 * Avaliacão geral: fantástico! Voltaria mil vezes.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Mova Mais: ganhe milhas praticando esporte

Já pensou em fazer dinheiro correndo ou andando de bicicleta? Desde meados de 2014, isso é possível com o site Mova Mais. Tudo o que você precisa fazer é se cadastrar, clicando aqui, baixar em seu celular um dos seguintes aplicativos: Strava (é o que eu uso, tanto para bicicleta quanto para corrida), Run Keeper ou Map My Run, conectá-lo ao Mova Mais (a partir da página 'Settings' no site) e iniciar suas atividades, trackeando-as com algum dos programas citados. Uma vez que você tenha conectado um dos programas ao Mova Mais, tudo será automaticamente sincronizado (às vezes leva algumas horas), e você não precisará fazer mais nada para comecar a ganhar pontos.

Somente as atividades que durem mais do que 10 minutos serão consideradas. O Mova Mais também seta uma meta diária, que é de 30 minutos, para que as pessoas se exercitem. Caso você consiga atingir sua meta, ganha pontos, que podem ser convertidos posteriormente em milhas para viajar!

Atualmente, só é possível converter pontos do Mova Mais para o Multiplus, na razão de 10 para 1. O mínimo de pontos necessários para a conversão é de 3.000 pontos no Mova Mais, o que equivale, portanto, a 300 pontos no Multiplus.

Meta:
- A meta é de 30 minutos por dia. Não adianta dobrar a meta: somente serão considerados os primeiros 30 minutos de exercício diário. Portanto, nada de prender o celular ao seu cachorro para tentar burlar o sistema, ok?
- Como alguns programas podem apresentar pequenos erros por causa do GPS, do auto-pause ou de instâncias cósmicas, eu recomendo que você pratique seu esporte por um pouco mais do que 30 minutos, para que, na hora do ajuste, você não perca preciosos segundos que podem custar sua meta. Não precisa de muito: correndo por 32 minutos, você já garante que seus 30 minutos serão considerados.

Pontos: somente são ganhos quando se atinge a meta diária.
- No primeiro dia de atividades, você ganha 20 pontos.
- Caso se exercite por dias consecutivos ("combo"), ganhará, a cada dia, +2 pontos, até o sexto dia. Isto é, no segundo dia você ganha 22 pontos, e no sexto ganha 30.
- A partir daí, ganhará +1 ponto por dia. Ou seja, no sétimo dia você ganhará 31 pontos, e no décimo segundo ganhará 36.
- Para manter o combo, é preciso sair para caminhar/correr/pedalar por vários dias em sequência. Como alguns dias de descanso são necessários em todos os treinos, o Mova Mais permite que você descanse por até dois dias seguidos sem perder o combo.
- Você também ganha pontos quando completa alguns milestones escolhidos pelo site, como "caminhar 5 km uma vez" e "combo de 10 dias". Alguns milestones dão pontos extra quando são completados por algumas vezes, como "5 caminhadas de 5 km". Você encontra essas infomacões na secão de Medalhas do site.
- Outras coisas que dão pontos: indicar amigos, e preencher seu perfil.

Medalhas: as medalhas são conquistas do usuário e ficam exibidas em seu perfil. Servem para premiar acões específicas, como as listadas acima. Algumas delas dão muitos pontos a mais, portanto fique ligado!
Os destaques de 2016 são:
- Medalha "Xô ressaca", para aqueles que conseguiram manter um combo entre os dias 04/01 e 08/01, e foram recompensados com 500 pontinhos extra.
- Medalha "Criando um hábito", para quem quem iniciar o primeiro combo do ano até dia 25 de janeiro e o mantiver até dia 31 (quoted do site). Essa medalha dará pontos em dobro, portanto não perca a oportunidade!

Então, o que está esperando? Cadastre-se agora mesmo, baixe o aplicativo de sua preferência e comece a se movimentar!

sábado, 9 de janeiro de 2016

Cervejas na trip #enjoyAustralia

Em duas semanas viajando pela Australia, passei pelos estados de NSW (Sydney), VIC (Melbourne) e QLD (Gold Coast e Brisbane), e bebi 78 cervejas. Dentre elas, foram 68 diferentes, de 50 cervejarias espalhadas por 8 países (Chile, Australia, Bélgica, Irlanda, Áustria, Japão, Inglaterra, EUA). Dei preferência para cervejas locais (não apenas australianas, mas dos estados que eu visitava).

As cervejas abaixo foram as australianas merecedoras de 4.5 estrelas no Untappd, não necessariamente na minha ordem de preferência:

1) Mountain Goat Beer (VIC): Fancy Pants
2) Little Creatures (NSW): Furphy
3) Moo Brew (TAS): Hefeweizen
4) 4 Pines (NSW): Keller Door: Christmas Saison 2015
5) Pettavel Road Brewing Co (VIC): Pale Ale
6) Matilda Bay Brewing Co (VIC): Ruby Tuesday
7) Prickly Moses (VIC): Spotted Ale
8) Two Birds Brewing (VIC): Sunset Ale

Entre estas, as três que eu mais gostei foram a Furphy, a Ruby Tuesday e a Spotted Ale.

Além delas, foram merecedoras de 4.5 a irlandesa Kilkenny (uma paixão antiga minha, que substitui a Smithwick's - minha eterna 5 estrelas - quando não a encontro) e a chilena Kunstmann Torobayo, que bebi no aeroporto, já na conexão de volta para casa.

sábado, 2 de janeiro de 2016

Melbourne: meu roteiro de quase três dias pela City

Cheguei a Melbourne tarde, de forma que não consegui fazer o City Tour no primeiro dia. Após um belo e tardio almoco no Three Crowns Hotel, dei um pulinho no Batman Park (que não tem nada demais fora o nome bacana, homenageando o fundador da cidade), cruzei o Yarra River e saí para explorar um pouco a parte de South Melbourne/Southbank. Entrei no Hammer Hall, Arts Centre Melbourne e National Gallery of Victoria, que tinham exposicões gratuitas. Depois, fui para os jardins, que são próximos. Fui ao Alexandra Gardens, Queen Victoria Gardens e Royal Botanic Gardens. Os três são muito bonitos e valem a visita (que é gratuita também). Terminei o dia tomando umas cervejas geladas no Arbory Bar & Eatery, próximo à Flinders Street Station, que é um barzinho muito agradável e descontraído.

No meu segundo dia em Melbourne, pude fazer o Free Walking Tour, com o Alex, um guia sensacional, muito divertido e que tornou o passeio fantástico. O Tour sai todos os dias, às 10h30 e 14h30, e o ponto de encontro é a State Library of Victoria. Procure pelas pessoas de camisetas verdes com o texto "I'm Free". Entre outros lugares, passamos pela prisão antiga (que tem uma história fantástica), Parlamento, The Block Arcade, Centre Place, Federation Square, Flinders Street Station, Chinatown, alguns grafittis... Alex também nos deu dicas sobre onde comer, beber e tomar café.

Finalizado o Free Tour, fui conhecer a St Patrick's Cathedral. Encontrei uma imagem linda de St Patrick's, porém achei cara (AUD 65) e seria complicado trazê-la (por eu ter viajado só com a mochila de mão), então acabei desistindo da compra. Depois disso, peguei um tram para St Kilda Beach. Ventava muito por lá e não pude aproveitar a praia, porém vale a visita a St Kilda. Segundo meus hosts, é mais interessante ir para St Kilda no final da tarde e início da noite, devido à vida noturna. Ainda assim, passei por três lugares para tomar uma cervejinha: Republica (em que aproveitei pra comer uma pizza muito boa!), Lady Grange (que gostei muito) e The Wee Chief (pub irlandês que achei fraquinho).

À noite, fui ao Turf Club Hotel para o encontro do Couchsurfing (em Melbourne há dois encontros semanais do CS, um às quartas-feiras em North Melbourne e outro às sextas-feiras em Fitzroy). Cheguei tarde (cerca de 22h) e o movimento já havia caído bastante, havia somente quatro pessoas: eu, um australiano (de Melbourne mesmo), um canadense (de visita à Austrália por duas semanas) e uma americana (que estava com um work visa por alguns meses). Porém, no horário de pico chegou a ter quinze. Os locais me falaram que o encontro de sexta-feira é mais lotado e divertido.

Na quinta-feira pela manhã, fui conhecer o Queen Victoria Market, que estava faltando no meu checklist. É um mercado muito interessante, grande e cheio de curiosidades. Depois eu fui ao Australian Centre for the Moving Image (ACMI), com visita também gratuita. Tomei duas cervejas no Young and Jacksons e me dirigi ao Federation Square, de onde sairia meu tour para Philip Island. Aproveitei pra comer um sanduíche delicioso no Beer Deluxe (no Federation Square mesmo).

A quinta-feira à tarde e o dia inteiro de sexta foram tomados por tours (Philip Island e Great Ocean Road), que merecem posts à parte. No sábado de manhã, dei mais uma volta pela City e voltei ao Queen Victoria Market. Almocei com meu host em um restaurante Hare Krishna, chamado Crossways, onde comi à vontade por AUD 7.95 (incluindo sobremesa).

Recomendo que se reserve pelo menos quatro dias para a estadia em Melbourne - dois dias para a City, no mínimo, e outros dois para tours. Além dos dois que eu fui, alguns dos mais recomendados são a Mornington Peninsula e Yarra Valley/Dandenong.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Couchsurfing: como se informar sobre eventos

Como se informar sobre eventos em uma cidade?

1) No site, bem em cima, troque a busca de "Find Hosts" por "Find events". Digite o nome da cidade e clique na lupa. No app, no menu superior direito, vá em "Search" > "Events". Clique sobre a lupa para digitar e escolher a cidade que deseja procurar.
2) Os eventos encontados serão exibidos com nome, local, data e horário e número de pessoas já confirmadas (attending).
3) Clique sobre um evento para saber mais sobre ele. Você verá a descricão completa, foto, quem são os organizadores, os confirmados, convidados, e, na parte de baixo, comentários sobre o evento, como dúvidas etc.
4) Caso se interesse e possa ir no dia, horário e local informados, clique em "Join Event". ATENCÃO: muitos eventos dependem do número de confirmados para serem organizados e concretizados. Então, SÓ CLIQUE JOIN se realmente pretender ir ao evento! Caso haja algum imprevisto e você já tenha confirmado, RETIRE-SE do evento, clicando sobre "I'm going" > "Leave".
5) Caso tenha dúvidas, vá aos comentários do evento e deixe o seu. Você será notificado de novos comentários. Você também pode clicar sobre o nome de um dos organizadores e, uma vez no perfil, clicar sobre o símbolo de mensagem (logo ao lado de "Accepting guests"/"Maybe accepting guests").

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Couchsurfing: como criar uma Public Trip

Já mostrei como enviar Couch Requests personalizados, e dei a sugestão de, pelo menos nas cidades mais concorridas, enviar também pedidos públicos de Couch, para que mais gente veja que você vai viajar e possa te oferecer hospedagem. Veja aqui como fazer isso.

1) No site, na página principal, desca a barra de rolagem até "My travel plans". Clique sobre "Create a Public Trip". No app, vá ao menu superior direito, e na secão "My couchsurfing" clique em "My public trips". Clique, então, sobre "Create a Public Trip".
2) No site ou no app, preencha o formulário a seguir com os seguintes itens:
"Destination": cidade que você está indo
"Arrival date": data que você vai - marque o checkbox abaixo se a data for flexível.
"Departure date": até quando você fica na cidade - marque o checkbox abaixo se a data for flexível.
"Number of Travelers": quantos viajantes vão. 1 se for sozinha, outro número se for acompanhada.
"Trip description": descricão curta da sua viagem, do que pretende fazer na cidade, motivo de pedir Couch em vez de ficar em um hotel/hostel, por que as pessoas deveriam querer te conhecer e te hospedar.
OBS: No app, está um pouquinho diferente, clique sobre as datas inicial e final. Não há checkbox de flexibilidade aqui.
3) Clique em "Create", no site, ou em "Publish", no app.
4) No site, em "My travel plans", você pode clicar sobre "My Public Trips" para gerenciar os seus pedidos. Pode, por exemplo, editar o texto escrito, as datas de chegada e partida e por aí vai. No app, você já verá os seus pedidos direto em "My couchsurfing" > "My public trips".

Exemplo RUIM de uma public trip que eu vejo com frequência: "Oi pessoal, estou indo para um evento na Unicamp e preciso de um lugar para ficar por dois dias, alguém pode me receber?"
Exemplo de uma public trip que eu enviei quando viajei para Donostia-San Sebastián, na Espanha, e que deu resultado. Consegui algumas ofertas tanto para Donostia quanto para cidades ao redor:
"Hola! Yo soy Andrea, 28 años, brasileña.
Las España siempre me encantó, y finalmente tengo la oportunidad de conocerla.
Yo voy viajar solita, y por eso me gustarían los couchs: así puedo vivir por unos días con las personas que habitan España.
Yo soy tranquila, buena onda, me gustan las cervezas, el ajedrez, la naturaleza.. Soy independiente, y si mi anfitrión no puede estar conmigo al día, estaré feliz si tenemos cena o drinks por la noche.
Gracias!"

IMPORTANTE: ao receber uma oferta de couch surgida de um Open Request que você enviou, sempre verifique o perfil da pessoa e suas referências!! Converse amigavelmente e tire suas dúvidas sobre a pessoa e a casa antes de aceitar o pedido! Como já falaram e falamos em outros posts, tem um monte de macho confundindo Couchsurfing com Tinder...

domingo, 27 de dezembro de 2015

Preenchendo o seu perfil (aba: My Home)

Hora de detalhar a seção do perfil que fala sobre a sua casa, para que os guests saibam o que esperar ao se hospedar com você.
“Preferences”: são as informações gerais sobre a casa. Tem alguns itens dentro disso:
“Max surfers”: quantas pessoas você pode hospedar simultaneamente.
“Preferred gender”: você só hospeda meninas? Só meninos? Tanto faz? É bem comum meninas só hospedarem meninas e vice-versa, ou por morarem em República, ou por morarem com os pais e hospedarem CSers em seus próprios quartos. Porém, desconfiem de meninos que escrevem no perfil que preferem hospedar meninas. Talvez eles estejam procurando o Tinder no Couchsurfing.
“Suitable for children”: você aceita receber crianças em sua casa?
“Pets welcomed”: pode levar animais de estimação para a sua casa?
“Smoking allowed”: pode fumar na sua casa? Talvez do lado de fora, ou na janela?
A seguir, em “Home”, vemos:
“Sleeping arrangements”: onde seus guests vão dormir? É um lugar privado, compartilhado ou público (como uma sala)?
“I have pets”: você tem animais em casa?
“Kids at home”: você tem crianças em casa?
“Smoking at home”: você ou alguém fuma dentro da sua casa?
“Suitable for wheelchair”: sua casa comporta e é acessível para cadeiras de rodas?

Agora, vamos a alguns detalhes…
“Sleeping arrangements”: fale mais sobre como seus guests vão dormir. Você tem um quarto privado, com banheiro e frigobar? Tem um colchão no seu quarto? Um sofá, na sala de TV? Um colchão de casal na sala?
“Roommate situation”: com quem você mora? Quantas pessoas? São amigos ou família? Quer falar mais algo sobre essas pessoas?
“Public transit options”: tem ponto de ônibus, trem ou metrô próximos à sua casa? Leva 5 minutos andando até o centro, ou 40 minutos dentro do ônibus? É caro transporte público na sua região?
“What I can offer guests”: o que você pode oferecer para seus hóspedes, além de um espaço para dormir e da sua companhia?
“You should know”: coloque aqui as regras da sua casa e detalhes que podem ser relevantes para alguém que queira se hospedar com você. Fale sobre as suas expectativas em relação a receber CSers em sua casa. Fale qualquer coisa que seus guests devam ficar sabendo sobre sua casa. Coloque, se quiser, um pedido especial aqui, como “use a palavra ‘chocolate’ no seu Couch Request para eu saber que você leu meu perfil”. Fale que tem uma horta. Diga que seus guests podem usar seus chás de cima da mesa, mas que não devem comer as comidas da casa. Diga que o mercado fica a menos de duas quadras de distância. Escreva o que mais estiver com vontade sobre a sua casinha. Boas hospedagens!